A KABBALAH surgiu no antigo Egito

    A KABBALAH, portanto, surgiu no antigo Egito, por volta de 3,200 a.c., sob o reinado do faraó Menés, que fundou a primeira dinastia. MUITOS estudiosos acreditavam que tribos e nômades viajaram ao longo do Nilo, na prática do pastoreio, e trocavam lã é carne de carneiro por trigo, lentilha e cebola com alguns habitantes denominados "nomos" que fixaram precariamente em pequenas aldeias ao longo do Nilo e que sofriam com os frequentes ataques de tribos nômades do deserto de Sinai. 'A ciência Tehuti', rebatizada pelos rabinos como a KABBALAH JUDAICA, tem como base doze posições estelares, que se dividem em nove posicionamentos, compostos de cinco elementos de transmutação, que na antiguidade, recebiam o nome dos deuses egípcios. Para facilitar a compreensão no Ocidente, tais nomes foram substituídos por números, e não se perdeu o verdadeiramente sentido" . LIVRO: KABBALAH EGÍPCIA

    Quando a Etiópia  invadiu o Egito o fixou nele seu reinado inclusive a transformando seus reis  e faraós, conhecidos também  como hicsos, que foram triunfalmente  derrotados pelo faraó tutmés I, que o perseguiu em retirada até as fronteiras ocidentais do Reino egípcio. Levaram consigo todo sincretismo religioso egípcio,  porque antes, acreditavam apenas no sol como o ser regente e criador , em sua esposa, a lua, que previa a vida por meio das chuvas....Foi nesse momento que surgiu a religiosidade africana ou mesmo as raízes  do CANDOMBLÉ, que se espalharam por todo continente e levaram consigo os ensinamentos do oráculo de Tehuti, podendo ser antecessor do jogo de Búzios,  tão  bem difundindo nas culturas africanas.  LIVRO: Kabbalah Egípcia